Make your own free website on Tripod.com
Comune di Carugate

Comune di Carugate

A página não oficial de Carugate na Web ESTATÍSTICAS: Le statistiche di questa pagina (solo in spagnolo)
Italiano - English - Français - Deutsch - Español - Português - Esperanto

História de Carugate

Na seção histórica dos Arquivos Municipais é conservado um documento de 1922 chamado "Il Comune di Carugate, cenni storici per la concessione dello stemma comunale" (O Comune di Carugate, notas históricas para a concessão do brasão municipal). Nós daremos uma rápida olhada nos fatos que mais interessam a nossa cidade começando com este documento.
A vila de Carugate foi mencionada para a primeira vez no documento de Enrico III, Rei da Alemanha, confirmando a favor dos membros do San Dionigi di Milano todos os bens que o Arcebispo Ariberto di Intimiano lhes tinha deixado.
No fim do século XI foi fundado entre Brugherio e Carugate o "Monastero di Sant'Ambrogio".
No século XIX foi descoberto no arco de uma pequena porta do velho monastério um registo datado de 1098 que indica a data de fundação.
Em 1362, os membros de Sant'Ambrogio juntaram-se às Umiliate di Santa Caterina em Borgo Rancate fora de Porta Nuova di Milano (Porta Nova de Milão) e mais tarde mudaram-se para Santa Caterina alla Chiesa (1539).
Há séculos Carugate tem em seu território duas igrejas (além do velho monastério): a de Sant'Andrea e a de Santa Maria.
Em um documento datado de 3 de Maio de 1392, Carugate foi concedida juntamente com Pessano, Santa Maria alla Molgora, Cascine Valera e Bornago a Ettore, filho de Bernabò Visconti e seus descendentes de ambos os sexos.
O filho do Duca de Milão Gian Galeazzo Visconti, Gianmaria, obteveo de sua prima, Donnina Visconti, o controle do castelo de Pessano e de alguns imóveis em Valera, Santa Maria alla Molgora, Bornago e Carugate.
Em 1530 para razões fiscais foi feito ao primeiros censo e descrição de Carugate.
De acordo com um registo na Casa Ghirlanda, Enrico III, rei da França, visitou Carugate em 1575, quando estava retornando da Polônia, onde deixara o reino para tornar-se o rei de França.
No fim do XVIII século Carugate e Cassina Imperiale foram vendidos pelo governo espanhol a Aurelia Besozzi pelo preço de 45 liras por fogo (família) e 100 liras para cada 3 liras de arrecadação, num total de 3710 liras. A posse começou em 1 abril 1691.
Carugate teve uma grande expansão demográfica no século XVIII, com 756 habitantes de acordo com um censo.
Um importante exame estatístico foi realizado pelo governo da Áustria. De acordo com o censo, começado em 1770 e terminado em 1784, Carugate tinha aproximadamente 670 habitantes, com um máximo de 756 habitantes em 1782.
Mas estes dados não eram confiáveis, e em 1802 o número de habitantes subiu para 997.
Com o aumento da população tornou-se necessária uma ampliação da igreja. O padre Antonio Conti consegui 6000 liras para os trabalhos com uma contribuição do Conde Giulini. Mas o obtido não era suficiente para terminar as obras, o que provocou uma séria discussão com a contabilidade só resolvida em 1824.
Os novos censos aumentaram o número dos habitantes para 1.200 (1812), 1.500 (1854), 1.632 (1857), 1.732 (1862), 1.794 (1865) e finalmente para 10.811 no último censo, em 1991.


Copyright (C) 1998 Tiago Tresoldi